Criciúma
Vadico e Tocatas Altair Cascaes Jose Tito da Silva Zurene Manique Barreto
Produção Musical Serenata Donatila Borba A Cidade Criciúma
Vadico e Tocatas

Dos tempos fantásticos da lembrança,
Ouço ainda tio Vadico violinizando músicas,
Acompanhado pelo violonista Altair Cascaes da Silva,
E por outro amigo Paulo Pfutzenreuter,
Nas serestas inebriantes e belas imortais...

Quais os autores de “Adios Argentina”
E “Alma Catarinense” ?...
Estas são músicas quais cânticos imortais,
Das quais sorvi o encanto e queria ouvir mais...

De outras muitas também há ignotas autorias...
São segredos ?...Os homens as compuseram...
Quantas melodias, sambas, canções ouvi
E esqueci-as, bem como as letras,
E delas gostei tanto que sempre tornaria a ouvir...

E o homem, como a música, conhece o Pai ?...
Nasceu do ventre da Terra o Homem ? Não.
Do ventre das virgens brotaram segundo o Destino...
Morto o homem, ao seio, à sepultura, torna,
Porque não pode mais falar, cantar, viver...

Ó brancas alvuras da valsa “branca”!...
Ó virginais feitiços da “Rapaziada do Braz” !...
Nas notas vibráteis, nos psicatos do violino,
Tio Vadico tocava maravilhas musicalias,
Em serenatas e reuniões que não voltam mais...

Criciúma, 6 de Dezembro de 1974.

Altair Cascaes

Jose Tito da Silva

Zurene Manique Barreto
Relembro...
Orleans jubilosa vivia
sua anual “Semana Cultural”
e vozes uníssonas anunciavam
a Abertura de seu Centenário!

A cidade irradiava felicidade
e seus habitantes participavam exultantes
daquele evento único
marco histórico grandioso!

Foi dignificante apreciar
as danças infantis
participar da Comissão Julgadora
dos concursos de Poesia, Teatro
assistindo tão de perto
todo o desempenho da comissão Pró-Centenário!

Foi gratificante participar das solenidades
do 2º Aniversário da Academia Orleanense de Letras
foi belo observar que Orleans preserva
toda a sabedoria e tradição de seus ancestrais
e incentiva, destaca, enaltece
os valores artísticos de sua terra
e todos os segmentos culturais.

E na tranqüilidade de um lar
“Tio Vadico”, com um olhar longínquo e sonhador
harmoniosamente executava seu violino
enquanto Reinaldo num ritmo compassado
tocava suavemente nas teclas do piano...

Num breve intervalo
“Tia Leony” nos ofertava
o inebriante néctar de Baco
que aquecia tão docemente nossos corações...

E de repente
vislumbrei a estante
e sobre esta, um porta-retratos
emoldurado pelo sorriso sereno de Rui
que nos espreitava carinhosamente.
Sua imagem invadiu o recinto
e transmitiu bem mais do que paz,
traduziu muito mais que saudades...

Evidenciou a ausência de um ser
que marcou presença nesta vida
e que jamais será esquecido;
posto que não se esquece
todo aquele que tão somente praticou bondades
e lutou por justiça social
em prol do bem-estar da coletividade.

À Família Pfützenreuter, com admiração, respeito e muito afeto.
Zurene Manique Barreto
Criciúma, 20 de março de 1985
Produção Musical
Serenata Donatila Borba

A Cidade
Marli de Oliveira Costa: INFÂNCIA E EDUCAÇÃO: A EXPERIÊNCIA DA VILA OPERÁRIA MINEIRA...
Marli de Oliveira Costa: INFÂNCIA E EDUCAÇÃO: A EXPERIÊNCIA DA VILA OPERÁRIA MINEIRA...

PRÓSPERA EM CRICIÚMA SC: 1945-1961

Marli de Oliveira Costa citando Altair Cascaes e banda "Filho do Mineiro", e o crescimento da qualidade de vida com a estatização da CIA Próspera pela CSN (Getúlio Vargas).

Veja o arquivo aqui

Criciúma
Vadico de Orleans © 2014 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Mosaic Web